Dia Nacional do Bombeiro

Publicado por Victória França em

Dia 2 de julho se celebra o Dia Nacional do Corpo de Bombeiros. O Corpo de Bombeiros nasceu após decreto de Dom Pedro II, à época imperador do Brasil, que criou o Serviço de Extinção de Incêndio em 1856.
Antes disso, a extinção de incêndios era responsabilidade da população que era acionada ao dobrar de sinos e precisava se dirigir ao poço mais próximo para buscar água e ir passando baldes uns para os outros para apagar os incêndios.
A corporação é responsável não só pelo combate a incêndio como também salvamento de pessoas e animais, são mais acionados em casos de asfixia, afogamentos, quedas e traumas que proporcionem perigo à vida, acidentes de trânsito com pessoas feridas, tentativas de suicídio, salvamento em matas e florestas, dentre outros casos.

A corporação do corpo de bombeiros também faz um trabalho de prevenção, evitando acidentes e afogamentos, dando palestras informativas em escolas públicas e/ou particulares, a fim de que jovens e crianças sejam mais responsáveis com suas atitudes do cotidiano, as orientações giram em torno de cuidados em piscinas, praias e represas; cuidados com brincadeiras, como subir em árvores altas, fazer rapel, praticar esportes que coloquem a integridade física em perigo; evitar brincar com fogo, álcool, querosene, etc.; não mexer em produtos de limpeza, não fazer ingestão de medicamentos sem que um adulto responsável saiba; etc.


Algumas curiosidades sobre o Corpo de Bombeiros que você não sabe

1- ENTREGA DO ESPADIM 

O Espadim, “arma símbolo” dos cadetes do Curso de Formação de Oficiais é originário da época do Czar Alexander III, que no Comando do Exército Russo, solicitou que seu armeiro forjasse pequenas espadas de aço em comemoração à vitória em campanha militar na cidade de Varna, hoje atual Bulgária, pois iria distribuílas aos príncipes do Império Russo para que estes as portassem até estarem aptos a exercerem a função de Comando. Essa arma foi reconhecida socialmente durante a cerimônia de casamento do Príncipe Nicolau II, filho de Alexandre III, com a Princesa Alis. Na época o oficialato era destinado apenas à nobreza, então devido o uso constante na Escola Militar pelos jovens aristocratas russos o espadim foi difundido na Europa passando a ser usado nos uniformes das escolas militares. No Brasil, a primeira cerimônia de recebimento de espadins ocorreu em 1932, na antiga Escola Militar de Realengo e a partir de 1944, na Academia Militar dos Agulhas Negras (AMAN) em Resende. O objetivo é representar o cadete a um aprendiz dos oficiais, o qual estava sendo preparado para o comando; Nas Policias e Corpos de Bombeiros Militares, o Espadim recebe o nome de seus patronos, sendo conhecido como “Espadim Tiradentes” nas Polícias Militares, e de “Espadim D. Pedro II” nos Corpos de Bombeiros Militares sendo entregue ao cadete após ser concluído o primeiro ano de curso. O Espadim, portanto é muito mais que uma arma, é símbolo de conquista, de realização, de honra e de dignidade. Por isso é de grande valor destacar a tradição que esta arma representa sendo justo o orgulho de quem a ostenta mesmo comparada a outras.

 
2- Em vários lugares os bombeiros são voluntários

Alguns países não têm condições monetárias para manter um Corpo de Bombeiros e a partir da necessidade de ter um Corpo de Bombeiros, os países acabam instituindo pessoas dentro da sociedade que trabalham de maneira voluntária para a corporação e a sociedade sendo preparados pelo governo para trabalhar. Em alguns lugares inclusive são os próprios voluntários que pagam o treinamento. Um exemplo é o Chile, onde os voluntários pagam valores mensais e recebem treinamento.
Em alguns países, para trabalhar na corporação é necessário ter título universitário. No Brasil,  a preparação é realizada junto com a dos policiais militares.

2- Até o equipamento é guardado pensando em agilidade

O Corpo de Bombeiros é muito eficiente para atender aos chamados, afinal sempre são chamados onde tem risco de vida. Com isso, para agilizar na hora de botar a roupa para sair para o chamado, ela é separada de uma forma que seja colocada o mais rápido possível para que o bombeiro consiga partir para a emergência o mais rápido possível.
A roupa usada pelos bombeiros resiste a 1200 °C e ácidos concentrados diferentes de outros materiais que derretem em temperaturas tão altas.

3- Não podem ter piercing, bigode ou barba

Por conta de durante os salvamentos em muitos casos terem que usar máscaras de oxigênio, os bombeiros não podem ter piercing ou barba pois pode atrapalhar e muito a utilização da máscara de oxigênio que é crucial principalmente para combate à incêndio.

4- Atuam em várias situações do cotidiano

Não só de apagar incêndios vive um bombeiro. Seja salvando animais até situações mais simples como pessoas presas num elevador. Na verdade, podemos dizer que os bombeiros são de tudo um pouco. Seja um pouco mecânico, eletricista e em alguns casos até psicólogos para lidar com os diversos tipos de chamados que recebem durante o dia de trabalho.
Outra responsabilidade do Corpo de Bombeiros é expedir alvarás atestando a boa segurança de diversos locais como bares, restaurantes, cinemas, baladas e estádios de futebol quanto a incêndio tornando mais tranquila a ida do público para os eventos.
Ou seja, se tem alguém no mundo que tem um dia muito agitado pode ter certeza que são os bombeiros ainda mais nas grandes cidades onde as ocorrências aparecem quase que direto.

Nem todos os 5570 municípios brasileiros têm um batalhão do Corpo de Bombeiros, mas podemos ter certeza que sem esses profissionais incansáveis no nosso dia-dia cuidando de todos os problemas e salvando vidas a cidade não ia funcionar de maneira segura.

Compartilhar em:
Categorias: Notícias