Unidades: Sulacap e Nova Iguaçu
(21) 99668-8869

5 benefícios da atividade física

5 benefícios da atividade física

atividade física

Realizar atividade física pode trazer grandes benefícios, não somente para seu corpo, mas também para o seu progresso no processo de aprendizagem.

A princípio, se preparar para uma avaliação não é tarefa fácil! Por isso, muitos estudantes buscam conhecimento a respeito de técnicas, fórmulas e maneiras que podem ajudar no seu desenvolvimento no processo de aprendizagem. Sendo assim, é comum encontrarmos pesquisas relacionadas e direcionadas a métodos de estudo, mas que também em sua base indicam a importancia de ter uma boa alimentação, dormir bem e realizar atividades físicas.

Esse artigo tem como principal objetivo apresentar alguns dos benefícios que a atividade física pode trazer para a vida de um estudante.

1- Melhora a autoestima

Foto: freepik/ wayhomeestudio

Pesquisas comprovam que fazer exercícios traz benefícios psicológicos para os praticantes, sendo um deles a elevação da autoestima. Exercícios leves e moderados fazem com que o corpo libere beta-endorfina, uma substância que proporciona bem-estar e prazer. Quem começa a praticar atividade física ganha controle emocional, aumento da autoestima e também melhora o humor.

2- Corpo saudável, mente saudável

Foto: freepik/ karlukav

Realizar atividades diminui o risco de trastornos mentais! Quem nunca ouviu que os transtornos mentais são o mal desse século? Os números de pessoas está cada vez mais alto. Se exercitar além de melhorar o condicionamento físico também ajuda na evolução da capacidade cognitiva e diminui níveis de estresse, ansiedade e depressão. Lembre-se: Pessoas que possuem um estilo de vida saudável, consequentemente tem um corpo em forma e uma mente alerta.

3- Diminui o risco de doenças crônicas

atividade física

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são responsáveis por 63% das mortes no mundo. No Brasil, são a causa de 74% dos óbitos.

Primeiramente, o que são doenças crônicas? São doenças de longa duração e de progressão lenta, sendo muitas incuráveis.  Nesse sentido, existem duas categorias de doenças crônicas: as transmissíveis e as não transmissíveis (DCNT).  

As doenças crônicas não transmissíveis estão associadas a idade elevada ou ao estilo de vida da pessoa, como má alimentação, estresse e sedentarismo. Como por exemplo: doenças respiratórias (asma, bronquite, etc), doenças metabólicas (obesidade, diabetes, hiper e hipotireoidismo, dislipidemia, etc), entre outras.

4- Contribui para a memória e para o processo de aprendizagem

atividade física

Você possui certa dificuldade em se lembrar do que estudou? Um estudo da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá, mostrou que exercícios aeróbicos, quando praticados com regularidade, aumentam o tamanho do hipocampo, área do cérebro relacionada à memória e ao processo de aprendizagem.

Lembra que falamos no tópico 1 e 2, que durante a atividade física, o corpo naturalmente produz uma certa substancia que proporciona uma sensação de bem-estar? Ele produz mais serotonina e endorfina, neurotransmissores relacionados à essa sensação que ajuda a reduzir o estresse e a ansiedade. Issso também, contrinui para a memória e melhora a capacidade de raciocínio rápido.

5- Melhora a qualidade do sono

exercicio físico

Por fim, quem pratica atividade física possui um sono mais profundo, de qualidade. Ou seja, dorme rápido, descansa da forma correta e com facilidade, acorda mais disposto e isso melhora seu rendimento como um todo, seja nos estudos ou nas atividades do cotidano.

Pessoas que possuem certa dificuldade na hora de dormir, por exemplo, ao gastar sua energia se exercitando acabam ajudando a si próprias, pois a atividade contribui para colocar o sono em dia e horários ideais. Dormindo melhor e relaxando mais, as sensações de bom humor e de confiança também são recuperadas. Isso tudo contribui para uma qualidade de vida saudável.

E ai, gostou? Confira também: Processos de aprendizagem: Como funciona o nosso cérebro?

Compartilhar em:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *